BandDebate eleições: Andrea Matarazzo

Em ano de eleições municipais é imprescindível conhecer quem são os candidatos e quais são suas propostas para exercer o voto responsável. Pensando nisso, foi dada a abertura a sequência de BandDebates com os pré-candidatos a prefeito de São Paulo, com Andrea Matarazzo. O objetivo é trazer todos os candidatos até outubro.

banddebate_andrea1

Na primeira edição, o atual vereador contou um pouco sobre a trajetória na política, destacando o período em que foi Secretário de Energia durante o Governo Covas (PSDB) e quando foi subprefeito da Sé, durante a gestão Serra (PSDB). O candidato também contou brevemente sobre suas propostas, como a privatização da iluminação e dos cemitérios. “Achei a palestra muito boa, achei interessante conhecer a trajetória política dele e consegui reconhecer o tudo que ele fez pela cidade”, comentou Gabriel Lerner, da 3.a série.

banddebate_andrea2

Em seguida, a equipe de alunos do BandDebate, composta por Adriano Adoni, Caio Xavier, Isabela Cosin e Oswaldo Perez, da 2.a série, e Gabriel Lerner, Laura Cubillas e Leonardo Racy, da 3.a série, fez questionamentos sobre temas diversos como o ensino de gênero nas escolas e a decisão de Andrea de sair do PSDB e lançar a candidatura pelo PSD. Além disso, tanto outros estudantes, quanto professores e funcionários presentes na discussão puderam fazer perguntas ao candidato.

banddebate_andrea3

“Eu achei a iniciativa bárbara pois sempre dou preferência para debates em escolas porque acho importante mostrar que existe um lado bom na política”, comentou Andrea Matarazzo. “Estar aqui no Bandeirantes também é muito bom. O Colégio é uma referência e forma pessoas com um perfil próprio”, completou.

banddebate_andrea4

“É uma iniciativa bacana dos alunos trazerem os pré-candidatos e escutarem as propostas. Eles vão começar a votar agora, então é importante trazer essa cultura para eles”, finalizou Ricardo Aguirre, Coordenador do Departamento Cultural, apoiador do BandDebate.

BandDebate discute cenário político atual

Diante do atual cenário político do país, o Departamento Cultural e os alunos engajados no BandDebate convidaram o jurista e professor da FGV Direito, José Garcez Ghirardi, para participar de mais uma edição do projeto. O palestrante explicou aos alunos sobre questões jurídicas e econômicas envolvidas na Operação Lava Jato.

IMG_8623

A ideia de fazer o debate surgiu diante da necessidade que muitos estudantes sentiam de entender melhor os conceitos abordados na atualidade. “Eu acho muito interessante que eles tenham essa consciência política e queiram discutir sobre a situação do nosso país”, ressaltou Ricardo Aguirre, Coordenador do Departamento Cultural.

IMG_8564

Durante sua fala, Garcez contou, por exemplo, o que deu início à Operação Lava-Jato, o porquê de a investigação estar acontecendo em Curitiba e como ela chegou aos políticos. “A posição dele foi muito equilibrada. Ele colocou os dois lados de cada situação e isso ajudou os alunos a compreenderem melhor o tema”, comentou Márcia Abdo, Coordenadora de Geografia, que acompanhou o debate.

IMG_8570

Em seguida, munidos com mais informações, a equipe de alunos envolvidos na organização do BandDebate, com o apoio da professora Regina Mara, organizou uma roda de diálogo e deram continuidade ao debate. “Com a explicação prévia do palestrante, a discussão fluiu muito melhor, já que não estava baseado nas ideias do senso comum. Esse tipo de debate prova que, cada vez mais, o conceito de que política é assunto de adulto está se tornando obsoleta”, afirmou Laura Cubillas, aluna da 3.a série envolvida no projeto.

IMG_8648

A palestra com José Garcez foi toda transmitida ao vivo pelo Facebook e pode ser conferida clicando aqui.

BandDebate traz discussão sobre drogas

Na 3.a e última edição deste ano, o BandDebate trouxe para discussão o tema Maconha: Proibir, descriminalizar ou legalizar?. O evento teve como mesa diretora os alunos da 2.a série, Ana Clara Parga Nina, Laura Cubillas e Leonardo Racy e teve apoio do Departamento Cultural e das professoras Estela Zanini e Eva Turin. Também participou do debate a convidada Camila Silveira Magalhães, pesquisadora e psiquiatra da USP na área de consumo de álcool e cannabis.

Camila Silveira Magalhães

Camila Silveira Magalhães

Camila iniciou a atividade fazendo uma apresentação de dados sobre dependência química e efeitos do uso de drogas, tanto para os indivíduos, quanto para a sociedade. A palestra serviu para fornecer uma base de informações antes do debate, e assim, tornar a discussão mais produtiva.

band_debate_maconha_1

Em seguida, os alunos puderam expor sua opinião sobre o tema e ouvir o que os colegas tinham a dizer. “Na minha opinião, esse foi, sem dúvida, um dos melhores debates que já tivemos. Principalmente porque não só foi uma discussão muito produtiva e ampla, como também muito rica em informações, o que sem dúvida é algo que mais almejamos de forma geral”, contou Leonardo.

band_debate_maconha_3

“Ficou claro que a maior parte dos alunos defende mudanças na atual política de repressão às drogas, apresentando ideias que vão desde a descriminalização até a legalização da maconha. Os alunos souberam expor seus argumentos de maneira clara e respeitosa”, declarou Estela.

O BandDebate foi idealizado pelo Cultural em 2007, e teve grande interesse por parte dos alunos neste ano, que decidiram escolher temas de discussão e horários de reunião. Dentre a equipe de estudantes participantes da organização estavam Adriano Adoni, Caio Xavier, Isabela Cosin, Oswaldo Perez e Stephanie Ribeiro, da 1.a série, e Gabriel Lerner, da 2.a série. Também fez parte do apoio da 1.a edição do projeto, a professora de Geografia, Regina Mara.

BandDebate discute aborto

Alunos do Ensino Médio organizaram um BandDebate para discutir sobre o tema do aborto. O evento aconteceu na Biblioteca e reuniu mais de 100 estudantes interessados.

IMG_2578

A atividade foi organizada pelos próprios estudantes e apoiada por Estela Zanini, Coordenadora de CPG, e por Eva Turin, professora de História. “Meu papel é de acompanhar, os alunos que levam a diante toda a proposta. A gente orienta para que o projeto não fuja do controle, mas a preparação é deles, desde a escolha do tema até a divulgação”, contou Eva.

IMG_2596

Antes de iniciar o debate em si, o aluno Leonardo Racy, da 2.a série, falou um pouco o aspecto jurídico do aborto, seguido pela fala da prof.a Estela, em relação à saúde e Biologia e da prof.a Eva, sobre a questão religiosa.

IMG_2680

“É um espaço de aprendizado maduro e consciente, no qual os alunos começam a trabalhar habilidades como o exercício do controle, da articulação, da exposição de ideias. Nesse sentido, ele é único”, completou a professora de História.

IMG_2642

“Propiciar o debate é uma vantagem enorme, por que possibilita que o aluno reflita e olhe para um assunto sob diferentes ângulos”, comentou Estela. ” Eu gostei muito, a discussão mostrou a capacidade do estudante de ouvir o outro e argumentar de maneira respeitosa”, acrescentou.

O primeiro BandDebate aconteceu em 2007 e desde então vem trazendo temas e personagens importantes para a discussão dentro do ambiente escolar.

Alunos organizam BandDebate

Incentivados a discutir temas atuais, alunos do Ensino Médio organizaram um BandDebate para discutir sobre a Redução da Maioridade Penal.

IMG_5014

A atividade teve apoio das professoras Eva Turin, de História e Regina Mara, de Geografia e do Departamento Cultural. Desde 2007, o  BandDebate promove discussões sobre temas da atualidade.

IMG_5041Partindo da iniciativa dos alunos Leonardo Racy e Ana Clara Parga Nina, ambos da 2.a série, o debate foi feito na Biblioteca e reuniu cerca de 60 alunos do Ensino Médio. “A ideia veio de uma necessidade que eu sentia há muito tempo ao ver as notícias passando e o ‘mundo real’ em constante transformação e nós, alunos, sem espaço nas aulas para discutir sobre assuntos atuais”, afirmou Leonardo.

IMG_5095

O tema da Redução da Maioridade Penal foi escolhido por estar em pauta em diversos veículos atualmente e dividir opiniões sobre o assunto.

IMG_5113

Assim, para que todos pudessem se expressar de maneira organizada, o debate foi conduzido por uma mesa mediadora e uma lista de oradores.

IMG_5121

“Achei a experiência simplesmente bárbara porque ela nasceu de uma necessidade trazida pelos alunos. A importância disto acontecer está no fato de acreditar que a escola deve ser o espaço de discussão de princípios e do desenvolvimento de moral, ética e cidadania”, afirmou Regina Mara. “Compartilhar ideias e opiniões, discutir as diferenças, perceber a mesma situação sob diferentes pontos de vista permite que você possa mudar de opinião ou mesmo fortalecer suas crenças e isso é enriquecedor!”, finalizou.

“Haiti: A Reconstrução da Dignidade de um Povo”

Haiti after the hurricanes
A História do Haiti é marcada por acontecimentos trágicos. Segundo país a se tornar independente nas Américas, não conseguiu achar o rumo adequado para o desenvolvimento e a paz e foi constantemente castigado por governos autoritários e golpes de estado. Em 2010, o país sofreu um dos seus maiores desastres: foi abalado por um terremoto de grandes proporções.

O BandDebate do dia 28 de maio tem como objetivo a reflexão acerca dos desafios do Haiti para se reerguer e do que a nação guarda de positivo, apesar de todas as dificuldades. O evento conta com dois convidados que estiveram naquele país tanto antes quanto depois da tragédia, conhecendo de perto os impactos sofridos pela nação.

marianaMariana Reade, diretora de documentários e roteirista do Fantástico, é uma das ilustres presenças do evento, que será aberto com a exibição de seu curta-metragem, “Ponto Forte”, filme sobre o Haiti produzido antes do terremoto e exibido no canal Multishow. Ela também coordenou projetos de desenvolvimento da ONG Viva Rio para o país caribenho. Atualmente mora no Rio de Janeiro e acaba de lançar “Mundo de Algodão”, seu primeiro livro. A diretora pretende mostrar aos alunos do Bandeirantes um olhar diferente sobre as missões de paz no Haiti. “O foco é mostrar às pessoas o trabalho dos militares no país, em especial das tropas brasileiras, e a relação deles com o povo local”, elucidou.

Dario Puerta Otones, engenheiro químico integrante da ONG espanhola Asamblea de Cooperación Por la Paz em Haiti. Otones esteve no país da América Central entre março de 2006 e novembro de 2008, durante o período de reinstitucionalização, sob o governo Préval. Desenvolveu seu trabalho principalmente na região Sudeste, área predominantemente rural. Em 2010, colaborou brevemente com a ONG Viva Rio na ajuda humanitária depois do terremoto.

Alunos já podem retirar às senhas para o evento no Departamento Cultural. O BandDebate será no dia 28 de maio, sexta-feira, às 13h30, na Biblioteca II.

Sustentabilidade é sustentável?

Sustentabilidade é definitivamente o assunto do momento: com as mudanças que a ação do homem está causando na natureza, não há como não discutir o tema.

cubatNo entanto, enquanto os aspectos que envolvem propriamente o ambiente, e também a tecnologia, já são exaustivamente explorados, existe um lado que raramente é abordado: os aspectos sociais e econômicos.

É para discutir esse assunto que os alunos Simon Fan e Amanda da Matta, do terceiro ano, juntamente com o coordenador de Química José de Almeida, convidam os alunos do Ensino Médio para o BandDebate do dia 9, sexta-feira, às13h30.

1229098458Serão mesmo essas medidas sustentáveis viáveis? Tendo em vista que um quinto da população mundial vive com menos de um dólar por dia, é mais importante melhor as condições de vida delas, ou gerar mais aparatos para a sustentabilidade? Como balancear a ética e a necessidade? A que dar prioridade? Qual seria a solução, se é que ela existe?

Para discutir a questão, vão estar no BandDebate quatro debatedores:


Simon Fan
Aluno da primeira sala de exatas do terceiro ano, Simon tem interesse na área de política e filosofia. Ao ler o livro Mundo Contemporâneo, percebeu que os pensamentos das pessoas são determinados pela cultura. Por isso, Simon que trazer um novo olhar sobre um tema atual. “Antes eu achava o assunto sustentabilidade meio batido; depois de ler o livro, percebi que se observarmos aspectos diferentes do tema, nossa análise se torna mais realista”, comentou.

Amanda da Matta
Aluna da primeira sala de biológicas do terceiro ano, Amada também divide o gosto por assuntos políticos como Simon. Quanto à questão do BandDebate, Amanda acredita que a forma de lidar com o problema é ajudar o planeta de uma forma a auxiliar as pessoas também.

Professora Regina Mara
672c58a4cf08b6a4c63ff23897ce388e

A professora de Geografia Regina Mara foi convidada para mostrar o viés econômico do assunto, ou seja, debater se determinadas medidas sustentáveis são viáveis ou não. Além disso, a professora que coordena o MONU-EM também sabe tudo sobre relações entre países e órgãos internacionais.


Professor Gilvan de Freitas
640114a5f5a2a9acfcf023f33cbb7623

O outro foco que os alunos pretendem dar à questão é a parte social, relacionada às consequências nas vidas das pessoas que as medidas trariam, e também em que medida as condições de vida dos indivíduos pode ser negligenciada em detrimento da preservação da natureza. Para expor argumentos sobre esses assuntos, o professor de Sociologia Gilvan de Freitas foi convidado ao evento.

Alberto Marcondes

Foi editor na Gazeta Mercantil, trabalhou na revista Exame, no jornal O Estado de S. Paulo e na Agência Estado. Premiado em 2006 e 2008 pelo Prêmio Ethos de Jornalismo, é uma referência nacional do jornalismo socioambiental. Hoje é diretor da redação da Envolverde ganhadora do Prêmio Mídia Livre Nacional 2009.

Quando a cidade vai parar?

O tráfego da cidade de São Paulo está cada vez mais caótico, como ficou evidente no dia 10 de junho deste ano, quando o recorde de vias congestionadas foi batido com a marca de 293 Km de ruas paradas.

congestionamento2_012
A constatação da realidade é simples e incômoda; complicado é pensar em uma solução.

Para discutir o tema com especialistas e estudantes, o Colégio Bandeirantes organiza o BandDebate – Trânsito, na próxima segunda-feira, dia 28, às 13h30.  Inscreva-se no Departamento Cultural.

Como melhorar o transporte na cidade de São Paulo? O uso da bicicleta  é possível? Atitudes coletivas, como a carona, têm utilidade prática? Quanto aos pedágios, há necessidade de ampliar as áreas de atuação? Além disso, há também a questão do transporte público e das políticas públicas ligadas a isso.

Para que o tema seja abordado de forma completa, o BandDebate convidou:
Soninha Francine, vereadora da cidade de São Paulo pelo PPS. Ela acredita que o maior culpado do trânsito na capital é o automóvel particular. Além disso, Soninha vê nos pedágios a solução para o caos do tráfego paulista.

soninha1Formada pela Usp  em Cinema, Soninha trabalhou na MTV, ESPN e TV Cultura. Além disso, em 2008 Soninha concorreu à prefeitura de São Paulo, e em sua campanha ficou conhecida por ir de bicicleta aos lugares, incluindo a debates com os outros candidatos. Visite o site da vereadora clicando aqui.

ricardoRicardo Joseph – Idealizador do site Urbanias, acredita que nossas cidades vão melhorar quando os governos forem melhores, e que os governos serão melhores quando as pessoas interagirem ativamente em suas comunidades e bairros. Engenheiro de Produção formado pela Poli e com MBA focado em Administração Pública pela Universidade Yale, criou um supermercado delivery antes da Internet, foi analista financeiro-econômico no Grupo Ultra e consultor de gestão por vários anos para empresas líderes de mercado nas área de redesenho de processos e organizacional. Para acessar o site Urbanias, clique aqui.

BandDebate – 21 de Agosto

QUANDO: 21 DE AGOSTO DE 2009 / SEXTA – FEIRA / ÁS 13h30.
Twitter do Cultural transmitirá em tempo real.
Repórteres do Idade Mídia farão reportagens para este blog.
O debate já começou na comunidade dos alunos, participe clicando aqui.

Mundo(s)de(s)conectado(s)

Estamos prontos para  participar  da cultura, economia e política de uma sociedade em rede?

thinking_computer_animated

Na vida pessoal conectada, as redes sociais afastam ou aproximam as pessoas? O mundo agora é mesmo “menor”?

Na vida acadêmica conectada, a inteligência coletiva, ou a construção coletiva de conceitos, já está assimilada na lógica acadêmica ou é vista com preconceito? Qual a diferença entre o Aurélio e a Wikipedia?

Na vida profissional conectada – Estamos utilizando ao máximo o pontecial da rede no trabalho, ou apenas enviamos curriculuns por email?  A economia solidária, as parcerias, a nova economia da música faz algum sentido? Continuar lendo